segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Uma pagina virada

Ontem, dia 6 de Setembro as 20:09 min, meu avo Mário faleceu. Seu corpo parou de funcionar aos pouquinhos e de repente não aguentou mais. Ele já estava internado há quase dois meses. Melhorava, depois piorava, para depois melhorar de novo... foi assim ate seus últimos dias. Estávamos passando o feriado de 7 de Setembro em São Paulo com os amigos, Carlos e Aline. Vim para cá hoje de manha pois o enterro foi ao meio dia la em Bangu, onde ele nasceu e viveu por muitos anos. Rodrigo ficou em SP com os meninos. O enterro foi rápido e sem frescuras, como ele mesmo queria. Estava só a família mais próxima, e amigos mais importantes. Minha avo segurou a barra, chorou, mas estava controlada. Minha tia Mery, chegou super abalada e fiquei preocupada, chorava muito e tremia. Minha tia Zuzu, irmã do meu avo, estava to cool to be true, acho que a ficha ainda vai cair, pois ela era simplesmente apaixonada pelo irmão.
Ele morreu com 81 anos. Poderia ter vivido muito mais, e muito melhor do que viveu. Mas, as vezes, nossas escolhas não são sempre as melhores.Como humanos, erramos, sofremos, nos deprimimos e acabamos vivendo uma vida pior do que realmente merecíamos.
Para mim, foi essencial que estivesse aqui perto de minha família, de minha mãe, meu pai, minha irmã e principalmente minha avo. Agradeço a Deus por poder estar aqui neste momento.
Quanto ao vazio, vamos nos acostumando sem sua presença e ficando apenas com a memoria do que ele era e do que representava para cada um de nos.
Meu avo não era santo, não deu a melhor vida para a minha avo, isso na minha opinião, claro. Mas era, essencialmente, um homem bom. Tinha seu modo de ver o mundo, suas verdades, seus pontos de vista, que nem sempre compartilhei. Muitas atitudes que ele tomou, fui contra, as vezes fui a favor, mas nunca fui de batalhar com meus agurmentos com ele. Ele sempre teve uma opinião muito forte e nunca me senti segura o suficiente para encara-lo. Um homem forte ele foi com certeza. Um bom pai? Acho que para minha mãe, foi um excelente pai, percebo isso quando escuto ela falar dele, sempre com muito orgulho. Para meu tio? Não sei, mas acho que não. Nada feito de propósito, e claro, mas cometendo os erros de pais que as vezes são irreparáveis.
Foi sempre um otimo avo, querendo sempre o melhor para nos todos, todos seus 5 netos e netas. Pelos meus primos ele viveu os últimos 15 anos. Acho que tinha medo de ir embora e deixa-los desamparados.
Meu avo teve sua historia. Sua infância difícil e pobre, a perda do pai aos 13 anos e sua grande carreira militar. Conseguiu, do nada, construir uma família e dar a ela toda estabilidade e amor que um pai pode dar. Foi responsável, criou bem seus filhos e deu uma vida digna para minha avo.
Bem, e isso, Adeus Mario, nos veremos um dia! bjs

Um comentário:

Sonia Regina disse...

Oi minha filha,
Acabei de ler seu comentario sobre o seu avo.Achei muito louvavel que tenha escrito algo sobre meu pai.
Foi um bom pai realmente.Alias, nao foi so bom, foi excelente.Estava a frente de seu proprio tempo.Tinha sua maneira de ser.Enquanto jovem, foi saudavel e inteligente.Quando maduro,foi responsavel e honesto.Quando velho,
surgiu outra pessoa.Para muitos, e, ate para mim que o entendia muito bem, as vezes era surpreendente.Estou falando de ambiguidade.Tornou-se muitas vezes
aspero com determinadas situaçoes e, com determinadas pessoas.Poderia ter sido tudo muito diferente.Poderia!Era tudo uma resposta malcriada em relaçao ao que a vida reservou.Nao foi facil assimilar determinadas situaçoes.Ele se impos e algumas pessoas aceitaram essa imposiçao.A vida as vezes e muito dura.A vida dele sempre foi muito dura.Ele fez a opçao errada.Poderia ter sido diferente?Poderia.Perdeu-se tempo e qualidade de vida.Todos nos perdemos.Nossa familia perdeu.Nao julgo meu pai como pai.Nem poderia.Tal como minha mae, ele foi sempre presente ao longo da minha vida,como dois grandes amores meus.Envelheceu mal.Muito mal.Sinto muito por isso.Nao tem volta, pois ele se foi e se foi para sempre.Deixou muita coisa boa para tras.Ensinou muitas qualidades boas.Sinto falta dele.Vou sentir sempre, mas sei que esta aqui em mim.Vai estar sempre, assim como os seus ancestrais estavam nele.É isso que me conforta um pouco.Quanto a saudade deve ficar comigo enquanto viver.Quanto ao amor por ele, sera sempre o mesmo amor.Quanto aos agradecimentos, sao muitos.A vida é essa.As vezes é muito dura para todos.Outras vezes vem cheia de alegrias e, a gente vai vivendo e o tempo vai passando.Espero que consiga manter minhas saudades alegres.Bisoux,
Mami.